segunda-feira, 20 de novembro de 2017

A pressa de viver*

Temos pressa, mas não queremos que a vida passe depressa!

Li esta frase algures e não posso deixar de concordar... cada vez mais, temos pressa de viver... andamos sempre a correr de um lado para o outro... cumprir horários... temos pressa em chegar a horas ao trabalho, pressa em deixar o miúdo na escola, pressa em almoçar, pressa em andar... 

Se pararmos para pensar nos nossos dias, veremos que, a maioria deles, resume-se a isso: pressa!

Ainda hoje, esbocei um sorriso ao dizer ao Gonçalo "Despacha-te que estamos atrasados"... lá está a pressa... todos os dias...

Queremos tudo para ontem... e esquecemo-nos que a vida tem de ser vivida hoje... sem pressas!

Não é fácil, claro que não... exige da nossa parte uma força interior que nos faça pôr um travão nas pressas do dia a dia e nos faça ter discernimento para saber parar...escutar... e começar a andar com calma...

Tenho sentido isso, também, no meu processo de luto... aquele desejo de que a dor passe depressa, aquela necessidade de ver luz ao fundo do túnel, aquela pressa de que, a nuvem cinzenta que paira sobre mim, se afasta... mas, tal como me dizia a minha Su* {que me conhece tão bem} não posso viver na ânsia de ultrapassar tudo num estalar de dedos... a dor que sinto, não será menor se viver com pressa... poderá ficar camuflada por uns tempos, mas voltará sempre... por isso, é tão importante viver a vida, sem pressas, sem saltar etapas... 

Muitas vezes, nós somos os responsáveis por esta ânsia de viver tudo depressa... basta ir aos shoppings, passar cinco minutos nas redes sociais que já vemos, por todo o lado, árvores de Natal, decorações natalícias... num desejo frenético de antecipar tudo... ainda falta mais de um mês e o espírito natalício já reina na maioria dos lares...

Tudo a seu tempo!

A vida já nos vai absorvendo as energias, as alegrias, as gargalhadas... para quê viver com pressa? Um dia o espetáculo termina e as cortinas fecham-se...

Por isso, tenho procurado viver com mais calma {apesar das correrias do dia a dia... mas tento}, por aproveitar o momento, desfrutar o meu filho, saborear a vida... tudo com {mais} serenidade!


Tenhamos "pressa" em viver o presente!

Amor maior ღ

O melhor dos meus dias... cada gargalhada, cada sorriso, cada vitória são uma lufada de coragem que me ajudam a, pé ante pé, seguir em frente... 

És o melhor!!

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

"O Natal"

As luzes já piscam nas ruas, as montras já estão decoradas a rigor, as lojas enchem-se de artigos apelativos para mais uma comemoração que mexe com as nossas emoções: o Natal!

Este Natal - como serão todos os outros... infelizmente, as pessoas têm muito a tendência de só se focar no primeiro ano de perda - terá um sabor agridoce... há uma dissonância entre a nossa tristeza interior e os estímulos externos, que nos ditam que esta altura do ano é para ser vivida de forma alegre...

Sempre gostei do Natal... das decorações festivas, do convívio, do cuidado em escolher os presentes {apesar de ser uma época essencialmente consumista}... o espírito de Natal é, sem duvida, mágico...

No ano passado, felizmente, e apesar do estado debilitado do Jorge, ele ainda estava cá... mesmo que não interagisse tanto conosco, mesmo que não estivesse sentado à mesa o jantar todo, mesmo que não nos tivesse ajudado a montar o pinheiro... ele esteve cá... ele participou como pôde... tiramos a nossa foto da praxe em frente ao pinheiro... e trocamos prendas... essa prenda que ele teve o cuidado de pedir para comprar e colocar junto ao pinheiro...essa mesma prenda que traga ao pescoço desde então... 

Apesar de mais fraco, e de visivelmente, diferente, ele nunca deixou de ser o MEU Jorge... sempre cuidadoso, atento e protetor... mimou-me até ao fim... 

Há dias, em que penso nisso, e me dá uma raiva tão grande que só me apetece mandar todo à urtigas... há dias, em que me sinto tão fraca, tão cansada da vida, que acabo por me "desligar" do mundo e das pessoas {Desculpa Su*}... há dias, em que estou rodeada de gente e me sinto terrivelmente só!

E depois, há aqueles dias em que tento pensar que, apesar das bofetadas que a vida me deu, ela também me deu a possibilidade de viver um intenso e grande amor... ela deu-me um filho para amar e cuidar... ela está a dar-me a possibilidade de continuar o trabalho que iniciei com o Jorge, o de amar e cuidar do nosso amor! 

E é nisso que me vou agarrado, nesse amor, nesse "nós" que ficou... e é por esse "nós", que tento encarar o Natal com outra disposição... sei que vai ser uma altura difícil, sei que vou sentir uma enxurrada de emoções, sei que vou sentir aquele vazio ao olhar para o lugar vazio à mesa... apesar de saber disso, vou tentar viver esta época com o coração tranquilo, por mim, por nós e pelo Gonçalo, que não tem culpa que a vida tenha sido malvada conosco e merece viver o Natal como qualquer outra criança...

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Minha Su*

Hoje, a minha Su* faz anos... 

Todos temos {ou deveríamos ter, porque é tão bom} aquela amiga que está sempre presente... aquela amiga que sabemos que, custe o que custar, não arreda pé... venha o maior vendaval, que ela mantém-se firme ao nosso lado...

E, eu tenho a felicidade de ter essa amiga - uma raridade nos dias que correm - que não me larga por nada... e como eu gosto disso!

Hoje, a minha Su* faz anos... e não posso deixar de agradecer o teu companheirismo, a tua amizade e dedicação, o teu cuidado, carinho... obrigada por seres quem és... obrigada por ajudares-me a encontrar-me no meio do meus caos... obrigada pelas tuas palavras {diárias}, pelos teus miminhos, pelas tuas gargalhadas, pelas nossas recordações... 

Que a vida seja meiga contigo e que nunca percas 
esse teu lado doce e amigo que tão bem te caracteriza... 

Desejo-te que sejas sempre feliz, e que mesmo no meio da confusão que é a vida, consigas sempre encontrar maneira de sorrir... gosty!! 💗


Uma relíquia esta foto, mas continua tão nossa 💗

O sorriso do outono 🍁

Aproveitamos o feriado municipal para dar corda aos sapatos e tirar umas fotos bem outonais... e ao escolher as fotos do Gonçalo para fazer este post, dei por mim a pensar como eu gostava de puder sentir este estado de felicidade pura que irradia do sorriso e do olhar do meu menino... uma felicidade genuína... o ser feliz com pouco... o viver o momento intensamente... tenho tanto a aprender com ele!